O não você já tem

Como lidar com as rejeições no meio do caminho?

Quando eu tinha mais ou menos 12 anos fui mal em uma prova e ouvi de um professor que eu não tinha jeito para matemática. Essa mensagem ecoou em minha vida e em minhas escolhas por algum tempo, já que escolher a área de exatas não era uma opção.

Na faculdade um outro professor de matemática disse que eu tinha problemas nas provas muito mais porque eu achava que não tinha capacidade de acertar, do que falta de conhecimento propriamente dito. Pois é, foi um dos momentos mais marcantes, onde eu percebi como a rejeição atuou na minha vida.

Depois do seu nome, a palavra “NÃO” é a que você mais vai ouvir durante a sua vida. Imagine então, quando esses “NÃOS” significarem o adiamento de um sonho ou até mesmo do seu rendimento no fim do mês?

No mundo imediatista em que vivemos aprendemos cada vez menos a lidar com nossas rejeições, e quando você tem o seu próprio negócio, principalmente no início, tem que enfrentar as barreiras que dificultam o seu crescimento.

Foi isso que o empreendedor Jia Jang descobriu na pele. Após abandonar seu emprego e se aventurar na criação de uma startup viu seus sonhos ruírem quando foi rejeitado por investidores. Ele percebeu o quanto esse medo prejudicava seus sonhos e começou a se desafiar diariamente para lidar com a rejeição do mundo e das pessoas.

Vídeo de Jia Jang:

 

 

 

Ele lançou um livro chamado Rejection Proof (A prova de rejeições, ainda sem tradução no Brasil), onde conta sua saga em busca desse aprendizado diário. Se você não consegue fazer algo, deve se concentrar em ser melhor nisso, seja na criação dos seus projetos, sonhos ou na sua prova de matemática.

Alguns bons casos de rejeição nos negócios:

  • O dono do Alibaba (o site onde você compra itens chineses baratinhos) foi rejeitado 10x pela universidade de Harvard. Hoje ele é o homem mais rico da China;

  • Thomás Edison fez mais de 700 tentativas de inventar a lâmpada;
  • Oprah Winfrey foi demitida do seu emprego de âncora de telejornal porquê, de acordo com seu chefe, “ela não foi feita para televisão”;
  • Os Beatles Foram rejeitados pela gravadora Decca Recording Studios, pois eles não gostaram das músicas e não teriam futuro no show business;

  • A escritora J.K. Rowling foi recusada por diversas editoras que consideraram que literatura para crianças não seria lucrativa. A escritora já vendeu mais de 400 milhões de livros.

Vamos conversar?

Olá, a partir de hoje estarei por aqui batendo um papo com vocês sobre empreendedorismo e negócios.

Antes de mais nada quero me apresentar. Meu nome é Vivian Sant’Anna, nasci e cresci em São José dos Campos, a cidade que está localizada no melhor eixo Rio-São Paulo e é conhecida por unir cultura, tradição e tecnologia.

Minha formação é em Administração de Empresas e há 5 anos saí do mercado corporativo, onde atuava em uma instituição financeira, para ser dona da minha própria vida e do meu próprio negócio.

Mudar de “ares” nem sempre é uma decisão fácil, mas arriscar pode ser a chave para o tão esperado sucesso. O meu objetivo a partir daquele momento era fazer o bem para as pessoas, auxiliando-as a alcançarem os seus sonhos.

Habilitei-me em coach pela Sociedade Brasileira de Coaching (SB Coaching), me aperfeiçoei em cursos na área e então passei a ajudar os empreendedores a conquistarem seu espaço no mercado e ter uma vida rentável e realizada.

Muito mais do que um CNPJ, empreender não se trata somente de se fechar em reuniões de terno e gravata. Mas sim, de ter a cara e a coragem de colocar a mão na massa, falhar e começar de novo.

Um amigo me disse uma vez que: “ser empreendedor é como fazer uma entrevista de emprego todos os dias. É preciso se destacar, inovar e ser o melhor, se não a vaga não é sua”. Foi com esse pensamento que criamos esse espaço. Aqui não tem solução mágica, ou receita de bolo, mas soluções criativas que te ajudarão a trilhar o seu caminho e encontrar a sua própria receita de sucesso.

Aceita o desafio?