Como criar processos ágeis e produtivos na sua empresa?

Criar processos que façam com que tudo flua de forma fácil e produtiva na empresa é um questionamento que recebo muito dos meus coachees. Eles querem criar um mecanismo que permita que eles, gestores, possam monitorar com clareza as ações dos funcionários e das negociações. Como fazê-lo?

Confesso à vocês, não é uma tarefa fácil e é preciso a colaboração de todos. Desde a telefonista até o diretor executivo.

Diariamente, uma série de processos é executada e, muitas vezes, erros e falhas podem ocorrer pelo fato de os gestores desconhecerem algumas ações do caminho e aí fica difícil identificar onde a coisa está desandando.

A primeira dica é: tenha uma visão sistêmica para saber lidar com as pessoas e suas resistências e dificuldades.

A rotina organizacional é uma teia de processos e é preciso encará-la dessa forma. Cada colaborador executa sua tarefa seguindo uma lógica sequencial de objetivos: a eficiência da produtividade do grupo para satisfação do cliente.

Dica número dois: crie processos integrados, eles facilitam a comunicação entre os vários departamentos da empresa e refletem a forma como ela funciona.

Como criar esses processos? Exponha  o “quem”, “o quê”, “onde”, “quando” e “como” essas atividades devem acontecer. Você pode usar ferramentas onlines ,  como o Trello, para visualizar e documentar cada processo de cada colaborador. Desse modo, todos sabem o que o outro faz.

Dica número três: Depois de estabelecer seu processo ágil, converse com sua equipe para determinar se ele realmente funciona ou não. Defina seu ciclo de feedback e altere o mecanismo antecipadamente para que haja uma maneira testada e comprovada de atualizá-lo conforme necessário.

Tem dúvida? Me envia um e-mail: [email protected] que eu te ajudo.

Você sabe negociar?

Negociar (de acordo com o dicionário): lidar com negócios; transacionar comercialmente; comerciar; fazer negócio a respeito de; permutar ou vender por contrato; firmar, celebrar (acordo, ajuste, contrato etc.) [com]; promover o andamento ou a conclusão de; contratar, diligenciar.

Deu para ver que negociar tem vários significados e se analisarmos o nosso dia a dia negociamos o tempo todo. No trabalho, na empresa, dentro de casa, com a vendedora, com a família. O dia passa e no final dele negociamos com todos.

E saber negociar é fundamental tanto para a vida profissional tanto pessoal, caso contrário teremos prejuízos financeiros e também emocionais.

Mas, se perguntarmos para alguém neste exato momento se ela negociou hoje, provavelmente ela dirá não! Pois muitos ainda acreditam que negociar está relacionado apenas a ações profissionais, conquista de clientes, mudança de cargo, e por aí vai.

E você sabe negociar e reconhece essa ação no seu dia a dia? Veja o passo a passo para você começar a ser um ótimo negociador.

É importante negociar

Antes de tudo é importante reconhecer a importância de negociar. Mostre o seu valor e defenda seus interesses com seriedade. E a dica vale na vida pessoal e profissional.

Enxergue o outro

Muitos, na hora da negociação, agem como se a outra pessoa fosse um oponente. A Palavra de ordem na hora de negociar é empatia. Procure entender o que o outro precisa, por que ele está pedindo uma condição específica, aproxime-se.

Inteligência Emocional

A negociação já é uma situação mais delicada para ambos os lados, nessa hora controlar as emoções é primordial.

Empatia

Além de conhecer as próprias emoções, conhecer as do outro também é fundamental para uma negociação eficaz

Dialogue

O bom negociador é aquele que domina a habilidade de convencer a outra parte de que a opção que ele oferece é a melhor possível. Uma boa forma de fazer isso é descobrindo o que o outro lado quer. Se você está negociando com um cliente, por exemplo, e ele pede um desconto, é importante entender o porquê.

O corpo fala

Ficar atento aos sinais do outro é importante. Os sinais corporais mostram se a outra pessoa ficou satisfeita ou não com a sua proposta. Um sinal claro de que você fez uma boa oferta é quando a pessoa se aproxima da mesa, ou se ela respira antes de falar. Isso quer dizer que ela gostou. Por outro lado, se ela se afasta, tira as mãos da mesa, cruza os braços, naquele momento ela se sentiu ameaçada.

Manipule com honestidade

Em uma negociação é preciso manipular o outro convencendo-o que a sua oferta é a melhor o opção. Mas de nada vale se isso é feito com mentiras. A honestidade nessa situação é essencial.

Mudança de comportamento faz mercado pet crescer e se tornar uma ótima opção de investimento

Daniana Pinotti é uma das sócias proprietária do Anima Hospital Veterinário

Quem aqui não tem ou já teve aquele animal de estimação que marcou a história da família?  Pode ser cachorro, gato, passarinho. O amor pelos animaizinhos tem feito o mercado pet despontar entre os mais rentáveis do país. Com faturamento previsto de 19,2 bilhões de reais e expansão de quase 7% em relação ao ano passado.


E a grande vedete dentro desse mercado é o segmento de saúde animal. Impulsionado pelo avanço da tecnologia, esse nicho avança na casa dos dois dígitos – a projeção é que cresça 13% em relação a 2016.

E os empresários que enxergaram essa lacuna no mercado e apostaram em um negócio especializado para atender essa demanda pet, tem comemorado. Daniana Pinotti é sócia proprietária do Anima Hospital Veterinário, aqui em São José dos Campos. E há um ano e oito meses abriu suas portas. Hoje já contabiliza mais de 3 mil atendimentos e mais de 500 cirurgias.

O hospital funciona 24 horas e atende cães, gatos e animais silvestre. São mais de 20 especialidades, entre elas clínica geral e cirúrgica, cardiologia, oncologia, nefrologia, neurologia, endocrinologia, dermatologia, oftalmologia, cuidados intensivos, ortopedia, medicina de felinos e fisioterapia.

A estrutura impressiona. São mais de 400 m² de contrução que abriga consultórios, ambulatório, centro cirúrgico compartimentado, centro de estética e setor de diagnóstico por imagens (raio-x, ultrassom e endoscopias). As áreas de internação são individualizadas por espécie ou necessidade, com ambientes exclusivos para a terapia ideal dos pacientes mais graves, ou portadores de doenças infecto contagiosas. Um verdadeiro complexo canino e felino para cuida da saúde desses animais.

Quer saber mais sobre esse mercado ? Olha o bate papo que tive com a Daniana:

Bate papo no consultório da médica veterinária Daniana Pinotti

Vivian Sant’Anna: Desde quando o Anima Hospital Veterinário opera? Como e porque resolveram abrir um hospital veterinário? Me conte sobre o começo.

O Anima abriu as suas portas para atendimento em janeiro de 2017. Entretanto, o início do seu planejamento ocorreu razoavelmente antes, entre os anos de 2010 e 2011. O sonho da abertura de um Hospital Veterinário surgiu já nos primeiros anos da atuação profissional de seus sócios médicos veterinários, quando logo foi possível observar que a expectativa da maioria dos clientes que vinham para atendimento veterinário era maior do que o preparo (técnico). Ao atendermos alguns casos clínicos mais complexos, era fácil perceber que os tutores desses animais não aceitavam muito bem as limitações até então impostas à medicina veterinária, em contraste às possibilidades terapêuticas, estruturais, disponíveis na medicina humana.

Eles – os clientes – queriam mais: assistir seus pets sendo tratados em um ambiente com conforto, carinho, com os cuidados inclusive de higiene similares aos exigidos e praticados quando os pacientes são humanos, enfermos.

Foi, então, a vontade de evoluir todas essas possibilidades e assim melhorar o nível de atendimento às expectativas do nosso cliente (aquele que entende que seu pet faz parte da sua família), o que acendeu o sonho da criação do Anima Hospital Veterinário.

Vivian Sant’Anna: Com um mercado promissor a contratação de funcionários também aumentou? Quantos profissionais trabalham hoje no Anima Hospital Veterinário? São prestadores de serviços?  E quais profissionais são esses?

Com 1 ano e 7 meses de funcionamento, o Anima conta, atualmente, com a dedicação de 21 colaboradores efetivos, sendo: 2 auxiliares de limpeza geral, 2 recepcionistas, 2 administradores, 5 enfermeiros, 8 médicos veterinários entre clínicos e cirurgiões, 2 médicos veterinários do setor de imagem. Além da equipe interna, o Anima Hospital conta com 21 especialistas

Vivian Sant’Anna: Hoje o Anima atende mais de 20 especialidades entre entre elas clínica geral e cirúrgica, cardiologia, oncologia, nefrologia, neurologia, endocrinologia, dermatologia, oftalmologia, cuidados intensivos, ortopedia, medicina de felinos e fisioterapia. Quais sãos as ocorrências mais frequentes no hospital? Doenças? Quais? Quanto custa em média um tratamento? E consulta?

Casos muito frequentemente atendidos no Anima incluem, no geral: pacientes demonstrando falta de apetite, vômito e/ou diarreia; atendimento para o controle de crises convulsivas e busca de seus diagnósticos; atendimentos por traumas e quedas; doenças renais; infecções, sistema respiratório, intestinal e dermatológico; doenças endócrinas – a exemplo da diabetes mellitus e manifestações alérgicas.

Entre os pacientes felinos, é muito comum o atendimento voltado à ocorrência de doença renal crônica; às manifestações respiratórias tanto anteriores quanto pulmonares; doenças virais e distúrbios alimentares.

Já entre os pacientes silvestres, é frequente que o atendimento seja buscado em decorrência da nutrição inadequada, estabelecida por desinformação do tutor; da ocorrência de traumas e de doenças parasitárias.

O custo dos serviços no Anima varia bastante, tanto em função do número e da complexidade dos exames necessários para a definição diagnóstica, quanto em função da complexidade da terapia, do tempo de tratamento, e da necessidade ou não de intervenção cirúrgica, internação ou envolvimento dos diferentes profissionais especialistas em cada caso.

Vivian Sant’Anna: Quando falamos em animal de estimação, logo pensamos em cães e gatos, mas aqui vocês também atendem outros tipos de animais, não é mesmo? Quais são? É comum ter animais mais exóticos como estimação?

Na rotina dos pets não convencionais, atendemos frequentemente aves como calopsitas, agapornes, araras, papagaios, canário, trinca-ferro, coleirinhas, corujas e gaviões. Mamíferos como coelhos, chinchilas, hamsters, mercol, gerbil, furão, hedgehog, sagüis, mini-pigs, entre muitos outros, frequentemente são tratados por nossa equipe especializada em animais silvestres.

Quando o pet favorito é um réptil, os mais frequentadores do Hospital são os jabuti e tigre D’agua, além dos lagartos como iguanas e cobras – a exemplo das jiboias e corn snake.

A criação de pets não convencionais vem crescendo cada vez mais, porém algumas espécies necessitam de legalizações, o que acaba dificultando a aquisição, como no caso de uma cacatua, por exemplo. Já os animais silvestres considerados domésticos, como as calopsitas, agapornes, coelhos e furões, podem muito mais facilmente, fazer parte das famílias. E com isso, a frequência do atendimento destes se torna muito maior.

Vivian Sant’Anna: Qual dica daria para o empreendedor que quer focar em um negócio mais segmentado como o de vocês, o desafio é maior?

O prazer é imenso e diário. E a sensação de desafio é proporcional. A primeira dica, é planejar muito bem, pensando em todos os detalhes tanto para a viabilidade do negócio quanto para os processos internos necessários, minimizando todo tipo de risco – externo e interno. Ainda assim, outra grande dica está na necessidade do empresário se manter preparado para tudo o que não pode ser previsto nessa fase de elaboração do projeto. Muitas surpresas e problemas práticos surgirão, e por isso é muito importante haver uma reserva de energia para a criatividade na tomada de decisão, e busca de soluções em curto prazo.

Criar um ótimo senso de organização (ou apurar o que já existia) é outra dica muito valiosa. Isso garante o controle de todos os processos (internos e externos) da empresa, por mais complexos que eles se tornem ao longo do tempo. Os detalhes organizacionais e os processos da empresa devem ser muito claros a cada colaborador, o que na prática também exige muito empenho… contínuo.
Por fim, a última e principal dica é sempre garantir a qualidade do serviço prestado (em si), e a qualidade do atendimento ao cliente. Procurar (atento aos detalhes), amparar o cliente, mais do que atendê-lo, é a nossa maior dica de sucesso.

 

 

Sem ajuda não se chega a lugar nenhum

“Não sou daqueles que venceram na vida exclusivamente por esforço próprio. Toda vez que palestro em uma conferência de negócios, ou falo para estudantes universitários surge a mesma questão: Arnold, sendo um homem que venceu na vida por esforço próprio, qual é a fórmula do sucesso? As pessoas ficam chocadas quando agradeço o elogio, mas respondo: Não venci da vida só por esforço próprio. Tive muita ajuda” – disse Arnold Schwarzenegger – fisiculturista, ator e ex-governador da Califórnia

“Ajuda” é o tema de hoje do Blog Você Empreendedor. Em todas as entrevistas e papos que tive aqui nos últimos meses (já estamos com 8 meses de Blog!!), todos os empresários com que conversei relataram algum ato solidário da família, de amigos ou até mesmo outros empreendedores, sem os quais eles não estariam onde estão.

Mas como esses atos acontecem? É muito fácil ficar preso na bolha individual das nossas necessidades e dificuldades. O orgulho também é um desafio na hora de pedir ajuda e sempre tem aquela “pulguinha” do medo e do fracasso nos impedindo de ir atrás do que realmente desejamos.

E muitas vezes essa “ajuda” começa bem cedo nas nossas vidas: nossos pais e professores podem ser nossos grandes impulsionadores de sonhos.Tem também aqueles mentores que surgem ao longo de nossas vidas e nos mostram um caminho mais curto para onde desejamos (procure por eles, procure por mentores! Algo que vamos conversar aqui logo logo!). Mas quando você tem uma causa realmente verdadeira, demonstra empenho em conseguir o que você deseja sempre vai ter alguém para te ajudar. Para te dar um ânimo e mostrar que você não está sozinho.

Vou mostrar três exemplos de pessoas que utilizaram da “ajuda” e tiveram grande destaque.

Christina Tosi – Chef, autora e fundadora do milk Bar em Nova York

Christina teve a ajuda do seu chef anterior, Dave, que percebeu que o trabalho dela seria mais aproveitado em um negócio próprio e não teve medo de dizer isso à ela. Além disso, quando preparava sua inauguração ela disse:

“Faltavam três semanas para inaugurar o Milk Bar, eu assava, fazia sobremesas para outros restaurantes e no meio da noite descascava tinta de uma parede. Na verdade eu precisava de ajuda. Gente com quem eu não trabalhava há anos vinha às 2 da manhã ajudar a lixar os bancos.”

Tabata Amaral de Pontes – estudante brasileira que conseguiu bolsa integral na universidade de Harvard e representou o Brasil em 5 competições internacionais de ciências

Fonte: G1

Ela cresceu na periferia de São Paulo, no bairro da Vila Missionária, a cerca de 30 quilômetros do centro.

O bom desempenho em olimpíadas escolares fez com que Tabata ganhasse uma bolsa do colégio particular, para cursar o ensino médio. A instituição chegou a pagar um hotel perto da escola para ela morar, uma vez que os pais não tinham condições de arcar com as despesas de transporte e alimentação.

Arnold Schwarzenegger – fisiculturista, ator e ex-governador da Califórnia

Fonte: Uol

“Para chegar onde estou subi nos ombros de gigantes. Minha vida foi construída sobre a base de pais, treinadores e professores que me emprestaram sofás ou quartos nos fundos de academias; de mentores que compartilharam sabedoria e conselhos; de ídolos que me motivaram em páginas de revistas”

Atendimento personalizado: Por que ele faz tanta diferença no negócio?

Bate papo com a empresária do ramo da beleza Fernanda Valadares

O atendimento personalizado é um diferencial competitivo para as empresas e um fator decisivo na satisfação dos clientes. A personalização tem ganhado espaço em todos os segmentos, inclusive no mercado de estética. Não é para menos, afinal a estética está relacionada diretamente ao bem-estar.

Claro, que todos os outros aspectos também contam. Investir em tecnologia e inovação, atualizar-se sempre procurando oferecer os melhores serviços e lançamentos, além de estar bem alinhada com a equipe, afinal, são os seus colaboradores que estarão a maior parte do tempo em contato com a clientela.


E nesse cenário o importante mesmo é apresentar diferenciais, já que o mercado de estética cresce a cada dia, movimentando anualmente, segundo Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), mais de R$ 38 bilhões.

E quem segue a cartilha, colhe frutos. É o caso da empresária Fernanda Valadares, proprietária do centro de estética que leva seu nome no Jardim Aquarius. Ela começou prestando serviços em salões e centros de beleza de terceiros. Depois de algum tempo, resolveu investir no próprio negócio e abriu um sala para atendimento na Vila Ema.

“No começo eu não tinha muitas clientes e foi bem difícil. O boom mesmo veio após fazer um anúncio nessas revistinhas de bairro. No dia seguinte eu estava com a agenda lotada!”, relembra Fernanda.

(É como sempre digo aqui  no Blog, a comunicação é importantíssima para o sucesso da sua empresa, saiba mais no texto: https://voceempreendedor.ovale.com.br/5-dicas-fundamentais-para-alavancar-suas-vendas/)

Hoje com o próprio centro de estética Fernanda está sempre atualizada. E o seu diferencial? É exatamente o atendimento personalizado e humanizado.

“Aqui os clientes são acolhidos e os profissionais treinados para oferecer um atendimento diferenciado. Como? Nós ganhamos a confiança do nosso cliente, conversando e entendendo suas necessidades para aquele momento. Desse modo deixamos –os sempre confortável durante sua estadia conosco”, conta Fernanda.

Quer conhecer melhor a história da empresária? Vem ler o nosso bate papo:

Vivian Sant’Anna: Como foi a transição de trabalhar para alguém e abrir a própria empresa?
Foi difícil, pois trabalhar sozinha (empreender), não é fácil. No começo não tinha muitas clientes e quase desisti. Mas, depois que fiz um anúncio com uma foto ante e depois nessas revistas de bairro o meu negócio deslanchou. As pessoas gostam de visualizar o trabalho para ganhar mais confiança no que você faz. Hoje o meu boca a boca é muito forte e as redes sociais são minha vitrine.  


Vivian Sant’Anna: Quais foram as maiores dificuldades nesse processo?
Lançar a empresa no mercado e torná-la visível. Quando a gente abre um negócio, a gente não sabe muito bem como contar para as pessoas o quão bom somos naquilo.

Vivian Sant’Anna: Você especificamente trabalha com sobrancelhas, como foi a escolha dos outros serviços que seriam oferecidos na sua clínica?
Antes de montar o meu centro de estética, me tornei expert em design de sobrancelhas e micropigmentação e em paralelo fiz um curso técnico em estética facial e corporal no SENAC.
Devido à alta procura em design de sobrancelhas e micropigmentação sobrancelhas, olhos e lábios, tive que delegar os outros serviços a uma equipe especializada.

Vivian Sant’Anna: Quais foram às necessidades de aperfeiçoamento técnico que você sentiu ao longo do caminho?
O primeiro curso serviu apenas de base, exigindo de mim um aperfeiçoamento cada vez maior, em busca do “novo”, afinal, aprender nunca é demais e é essencial para evoluirmos sempre.

Vivian Sant’Anna: A sua filha trabalha com você, como fica o relacionamento familiar nessa hora?
Na empresa colocamos o profissionalismo em primeiro plano. Não existe existe mãe e filha, mas sim duas profissionais que buscam o crescimento da Fernanda Valadares Estética.

Vivian Sant’Anna: Qual dica você daria para quem está com medo de apostar no próprio negócio por medo da crise?
Ter visão e elaborar um plano de negócio bem estruturado é fundamental. Depois gostar do que faz, e focar na excelência e não no dinheiro. Quando focamos em entregar resultados, o dinheiro é consequência.

 

Como a arquitetura comercial impacta nas vendas?

Citar

Quando o cliente se sente bem ao chegar em um ambiente comercial, as chances dele fechar negócio aumentam. Afinal, um lugar com uma boa arquitetura e decoração oferece uma experiência agradável e suficiente para atribuir credibilidade ao empreendimento. Essa é uma das vantagens da arquitetura comercial bem planejada.

Em outras palavras, fatores como cores, design e mobiliário podem garantir que a imagem que o cliente tem sobre o seu negócio seja positiva — e isso influencia positivamente nas vendas.

Parece complicado? Mas não é! Os arquitetos comerciais são ótimos profissionais para auxiliar você que quer construir sua nova empresa ou até mesmo reformar, dar uma nova cara.

Quer saber mais sobre o assunto? Olha o bate papo que tive com a Claudia Carriço, que  atua como arquiteta e designer há mais de 10 anos e é proprietária do escritório Carriço Arquitetura.

As tendência dos projetos comerciais

Nos últimos anos os empresários estão focado em dar valor a marca. É muito importante o projeto arquitetônico ter uma identidade, o que transmita exatamente o que ela quer passar para o seu público.  Esses empresários estão cada vez mais preocupados com a sustentabilidade e também estética, beleza e conforto.

Hoje vemos uma mudança nos trabalhos. Os espaços compartilhados crescem aos olhos vistos e é preciso estar preocupado em aconchegar todos da mesma forma, já que cada um segue uma linha. São públicos diferentes.

Outro ponto é o conforto dos funcionários, o que aumenta a produtividade daquele colaborador. Espaços aconchegantes que remetem ao “estou em casa”. Os projetos tem evoluído muito neste segmento.

A iluminação hoje também tem sido o ponto principal. A luz traz o aconchego, chama o cliente e também ajuda na produtividade dos colaboradores.

Os ambientes multifuncionais e os ambientes vazados também estão em alta. A tendência é que o cliente, o empresário veja o espaço por inteiro. Como por exemplo, o crescimento dos restaurantes com cozinhas panorâmicas.

A hora de escolher o arquiteto

É preciso procurar por aqueles que são especialistas no projeto que procura. A dica é olhar o portfólio daquele arquiteto em vista e também confiar, pois aquele profissional é quem estará a frente da obra e lidará com todos os trâmites durante o processo de construção e/ou reforma. Com a contratação desse profissional é claro a otimização de tempo e até mesmo dinheiro. Ele tem todo o know how para criar soluções eficazes.

A revitalização do espaço

Revitalizar é melhor algo e requalificar é criar algo novo. As duas coisas estão muito ligadas hoje principalmente por conta do momento econômico difícil que vivemos. Então sim, hoje você pode optar por recriar um espaço no seu estabelecimento sem gastar muito e ainda sim agregar mais valor a sua empresa seus produtos. Tudo que é novo traz uma nova curiosidade. Um nova iluminação, uma nova vitrine, um ambiente mais aconchegante, novas cores e mobílias. Você traz uma nova experiência pra o seu cliente.

 Arquiteto é caro?

É uma pergunta que vem sendo feita há muito tempo. E é uma verdade falsa. Os profissionais arquitetos e também designer de interiores são imprescindíveis na hora de uma construção ou reforma. Pois é ele quem saberá conduzir da melhor forma tudo aquilo que o cliente precisa relacionado aquela obra.

Ele é um profissional atualizado, que sempre acompanha as tendências e tem os melhores relacionamentos com os fornecedores. Então nessa hora de escolha do profissional que irá lhe acompanhar, é preciso optar por aquele que acompanha a sua realidade.

Hoje há diversos serviços e você pode fazer tudo por etapas: uma consultoria, um acompanhamento, uma assessoria, uma visita técnica, gerenciamento ou uma administração. É importante ter claro qual a forma desse pagamento e saber que cada centavo investido na contratação profissional é revertido para você em tempo de obra, melhores preços e manutenção futura (quantas pessoas não fazem uma coisa errada na primeira construção e precisa consertar depois?)

A arquitetura como experiência

É importante encarar o projeto como humano e enxergar as necessidades do seu cliente atendendo todas as expectativas dele. É preciso oferecer sensações, são elas que ficarão na memória e contadas para as outras pessoas. Hoje proporcionar  experiências é a alma do negócio.

 

Digital Influencer: Como se tornar popular na internet e influenciar pessoas?

Imagem

 

Não se fala em outra coisa. Quem vive no mundo da Internet, Instagram e Facebook sempre se depara com eles: pessoas com milhares de seguidores, que ganham várias coisas legais, são chamados para eventos badalados e postam fotos de dar inveja em qualquer um.

Ah! E não é só isso. Muitos tem tornado a influência digital em forma de ganhar (muiiito) dinheiro. As empresas estão buscando, cada vez mais, divulgar seus produtos e serviços através de digital influencers. Atualmente, essa modalidade de publicidade é muito bem aceita e beneficia empresas e pessoas influentes que têm bastante seguidores e popularidade na web.

E afinal, quem são eles e como chegam nesse status de digital influencer? Os famosos influenciadores digitais.

Como tem muita gente ganhando dinheiro com essa nova “profissão” fui bater um papo com o jornalista e também digital influencer Gabriel Naste. Ele é de Sã

o José dos Campos e me contou como chegou onde está com mais de 70 mil seguidores. Confira: 

Vivian Sant’Anna: Trabalhar como influenciador foi algo que você planejou?

No início, não. Mas hoje, quase tudo o que estou vivendo e tendo de retorno foi planejado. As coisas na internet também acontecem com muito suor e aos poucos.

Cada um tem um caminho, mas o meu foi estudar. Fiz jornalismo, curso de cinema, de redes sociais. Não acordei de um dia para o outro com muitos seguidores. Foi no dia a dia! Costumo dizer que demorei 5 anos pra ter 70 mil seguidores do “dia pra noite”. (É que as pessoas costumam ver só quando acontece. O rascunho quase ninguém acompanhou rs)

Vivian Sant’Anna: Como foi o início desse processo?

Muuuuuuuuito difícil. Eu pensava em desistir todo santo dia. Mas era tão prazeroso – e ainda é – que eu continuava. No início ninguém botava fé. Tem que querer muito pra persistir em meio a falta de incentivo.

Vivian Sant’Anna:  O que você procura prestar atenção na hora de fazer uma postagem?

Primeiro – o que quero transmitir com aquilo. Se tá de acordo com o que estou sentindo, se é curioso, interessante, inspirador, divertido…

Segundo – a qualidade da foto ou vídeo.

E terceiro (não sempre) – se vai compôr o feed. Se combina com a identidade visual das outras fotos e vídeos.

Vivian Sant’Anna:  Existe uma distinção entre o Gabriel que a gente vê no instagram e a vida pessoal do Gabriel. Você tem algum tipo de preocupação em proteger algum tipo de informação?

Eu sou extremamente ansioso. Por dentro sou um turbilhão!!! Mas nas redes dizem que transpareço sem leve, zen (risos). Tenho preocupação em proteger relações familiares e amigos que não trabalham/vivem com isso.

Vivian Sant’Anna:  Que conselho você daria para quem quer começar?

Não tenham pressa. Sejam exatamente como são. (Só existe você assim no mundo e isso é o mais legal.) As pessoas vão gostar – ou não – de quem você é! Vão se identificar com você através dos seus “defeitos”, problemas, bom humor, personalidade… Todo mundo tem algo interessante – apesar de não achar – pra dividir. O desafio é só encontrar. Se inspire em pessoas que admira e acompanhem os passos delas.

Vivian Sant’Anna:  Quais são os seus projetos para o futuro?

Tem algumas novidades e coisas que NUNCA imaginei que fossem acontecer vindo por aí, mas como sou muito ansioso, prefiro ir vivendo um dia por vez.

 

 

5 erros que a mulheres cometem no trabalho que as impedem de serem promovidas

Imagem

Não é de hoje que ouvimos sobre as dificuldades das mulheres no mercado de trabalho. Exemplo disso é o relatório do Fórum Econômico Mundial que afirma que a igualdade de gêneros só será possível em 2095 e que a disparidade, quando se trata de participação econômica e oportunidades para as mulheres, gira em torno de 60%.

Assim, o questionamento é: há uma forma de reverter esse cenário? Sim. Há algumas atitudes que podem ser evitadas pelas mulheres no ambiente de trabalho, dando à elas mais espaço e voz.

Confira algumas dicas:

Medo da rejeição

Pense em quantas vezes você deixou de fazer algo por medo da reação de outras pessoas. Muitas vezes esse medo direciona não só seus objetivos como suas ações impedindo que você corra atrás do que você realmente quer e merece.


Necessidade de perfeição

A busca pela perfeição impede a ação. Muitas vezes você deixa de mandar um currículo, uma proposta ou de se candidatar para um novo desafio por medo de não estar pronta, de faltar alguma formação, entre outros motivos. Pois bem, abandone essa necessidade se quiser melhorar seus resultados.


Ser muito dura consigo mesma quando as coisas não vão bem

Sabe aqueles momentos em que você faz algo errado ou está apenas em um momento ruim da sua vida?  As mulheres geralmente não cansam de se desculpar e ficam o tempo todo com pensamentos destrutivos, como não se achar boa o suficiente ou até mesmo ficar imaginando as coisas que poderiam ter sido diferentes. Concentre-se no que você pode mudar, melhorar ou controlar e siga em frente! Ninguém está pensando tanto assim em você.


Apresentar suas ideias em forma de perguntas e não de afirmações.

Já reparou como isso é automático em nossas vidas? Em um relacionamento essa tática pode ser extremamente proveitosa, mas já parou para pensar o quanto dela você transfere para as relações profissionais? Dizer: “O que você acha de fazermos uma reunião?” ou “Poderíamos estender o prazo para esse projeto?” Quando você coloca suas ideias em forma de dúvida, coloca em dúvida também a qualidade delas, além da sua capacidade autoconfiança. Modifique a maneira de apresentar suas ideias principalmente no ambiente profissional.


Não dão permissão a si mesmas de amadurecer

É difícil de entender, mas as mensagens que você ouviu durante a sua infância dizendo para ser uma boa menina, permanecem até hoje no seu comportamento. Tenha uma boa conversa consigo mesma e organize sua vida para satisfazer seus desejos e necessidades.