Vale Empreender: Vamos falar sobre transição de carreira?

Se você precisasse mudar de profissão ou arranjar novo emprego hoje, estaria preparado? Longe da TV depois de passar mais de 16 anos na frente das câmeras, a jornalista Michelle Sampaio é inspiração de quem acha que mudar de carreira é coisa de outro mundo.

Recebi a jornalista no meu escritório e conheci de perto a história que muitos acompanharam. Michele, ao lado do amigo, jornalista e agora sócio Marcelo Hespaña, comanda a Comunicarte – empresa de treinamentos focado em comunicação. E agora nos bastidores, Michelle conta como aconteceu essa transição e como é trabalhar com empresários. Vem ver:

Se você precisasse mudar de profissão ou arranjar novo emprego hoje, estaria preparado? Longe da TV depois de passar mais de 16 anos na frente das câmeras, a jornalista Michelle Sampaio conversou com a especialista em gestão de negócios Vivian Sant’Anna e contou sobre os novos rumos da sua carreira, no Vale Empreender desta semana. Aperta o play:

Publicado por O VALE em Quarta-feira, 31 de julho de 2019

O que mostram os números quando o assunto é abrir um negócio?

Hoje vim falar para vocês sobre números e dados do Brasil quando o assunto é abrir um negócio. O que mostram as pesquisas sobre os empreendedores brasileiros e seus negócios? Se liga:

Em dez anos, o Brasil passou de 14,6 milhões de empreendedores para 49,3 milhões. De acordo com a Pesquisa GEM, de 2007 a 2017 mais que triplicou o número de pessoas entre 18 e 64 anos que exerciam alguma atividade empreendedora no país.

Somente no primeiro trimestre deste ano, foi registrada a abertura de mais de 722 mil empresas no país, segundo dados levantados pelo Empresômetro, empresa especialista em inteligência de mercado. Desse total, 30%, mais de 232 mil, encontram-se no estado de São Paulo.

Esses dados revelam que o empreendedor está saindo da informalidade, embora ainda seja um processo, algumas vezes, um tanto burocrático, é facilitado pelo MEI (Micro Empreendedor Individual) e pelo Simples Nacional, por exemplo. O cenário também é influenciado pelo índice de desemprego no país. Pessoas que se viram sem trabalho, com carreiras que muitas vezes se tornaram obsoletas, encontraram no empreendedorismo uma saída para encontrar sua sobrevivência financeira. 

Traçar o planejamento do negócio é essencial para a sobrevivência das micro e pequenas. Muitas surgem todos os dias, mas o problema é que várias apenas têm a ideia. De acordo com o Sebrae (Serviço de Apoio às micro e pequenas empresas), 60% das empresas fecham por não ter um plano de negócios definido. De acordo com dados do Sebrae, de cada 100 empresas que abrem no Estado de São Paulo, 22 fecham. O número sobe para 24 no Brasil.

Isto é muito comum, pois a empresa que não possui um bom planejamento não sabe para onde está indo. A falta de planejamento vem, muitas vezes, acompanhada de um mau planejamento financeiro, que deixa evidente a falta de sabedoria do empresário para saber se sua empresa é rentável ou não.

Ainda de acordo com o Sebrae, de cada 4 empresas abertas, 1 fecha antes de completar 2 anos de existência no mercado. Pode-se listar diversos motivos que levaram a essa grave estatística nacional, porém, um dos maiores problemas enfrentados pelo empresariado é, sem sombra de dúvidas, a dificuldade de planejar e executar ações de marketing, especialmente as que envolvem o meio digital.

Cada empresa tem sua maneira própria de trabalhar e necessidade. O que você precisa saber é como funciona o mercado aonde ela está inserida. Quais inovações você oferece ou qual solução você oferece para essa empresa? Somente assim conseguirá começar a encontrar respostas sobre como conduzi-la a bons resultados. Empreender todo mundo pode, o que é preciso deixar claro é que todos precisam se planejar e adequar o planejamento quando necessário, sem se prender a antigos hábitos, estando disposto a aprender e colocar a mão na massa. 


De porta em porta à loja física: como empreender com sucesso?

Daniela Bonkowski está à frente da boutique de calçados Emporium Bonk

Daniela Bonkowski é de Caçapava e começou vendendo sapatos de porta em porta e sempre observava em suas clientes a necessidade de mais conforto e variedade na hora de escolher aquele calçado ideal. Foi quando realizou seu grande sonho, ter sua própria loja de sapatos.

Em seu segundo endereço em São José dos Campos, na Vila Ema, em menos de um ano, a empresária me contou sobre como seu negócio, a loja de calçados Emporium Bonk, cresceu em tão pouco tempo e como ela lida com todos os desafios do empreendedorismo. Vem ver:

Freenlancer X Empreendedor: qual a diferença?

Já postei sobre o assunto no meu Instagram (@vfsantanna) e deu o que falar. Os trabalhos freelancers vêm se tornando uma alternativa cada vez mais procurada por profissionais que querem aumentar a renda, desfrutar de horários flexíveis ou desenvolver um plano B para a carreira – além, é claro, daqueles que são lançados à vida de autônomo não por escolha, mas por terem ficado desempregados.

As características se assemelham bem aqueles que querem se tornar empreendedor, não é mesmo? Mas, se você está apenas fazendo uma coisa aqui e outra alí, sem intenção, planejamento e pensamento no futuro, você não está empreendendo.

É ai que está a diferença. O empreendedor planeja, tem objetivos e metas, busca conhecimento que muitas vezes não estão dentro da sua área técnica de atuação, acompanha o mercado e também fica de olho na concorrência.

E, para você que quer deseja se transformar em empreendedor. Seguem algumas dicas: 

Faça um planejamento estratégico

Olhe sua empresa de cima para conseguir estabelecer os setores, suas atividade e como você vai dar atenção a cada uma delas e quando vai fazer isso. É a maneira como você vai administrar, o que você vai buscar e quais serão suas regras. Com isso em mente ( e no papel também) você visualiza o caminho que vai seguir. 

Rotina é essencial

É preciso estabelecer horários para trabalhar, claro que com uma flexibilidade bem maior. Você é o dono do seu tempo. Entender que a rotina vai dar a liberdade necessária para criar, inovar e, até mesmo, fazer outras atividades do seu interesse, é fundamental. Descubra em qual horário você produz mais e foque nele.

Tenha foco

Quando você direciona a sua energia e o seu intelecto para uma determinada área as chances de progredir são bem maiores. Uma dica interessante é, na hora de escolher uma área de atuação, focar e se especializar naquilo que você faz com maior desenvoltura.

Se informe

Antes de começar a trabalhar em qualquer área é preciso saber o que lhe espera. Você tem conhecimento daquilo que o mercado está precisando e que você está se propondo a ofertar?

Formalize-se

A formalização traz credibilidade. Um opção é optar pelo MEI (Microempreendedor Individual). Basta fazer um cadastro no Portal do Empreendedor do Governo Federal. Assim, você terá um CNPJ e poderá emitir nota fiscal do serviço prestado. Além disso, terá direito a benefícios previdenciários que, sem ser legalizado, não teria acesso.

Conheça seu mercado

É fundamental estudar o mercado e ficar por dentro das necessidades do seu público-alvo. Afinal, é para ele que você vai vender o seu trabalho. Não adianta sair atirando para todos os lados, pois além de ser desgastante é ineficiente.

Faça um planejamento financeiro

Ser o seu próprio chefe não significa que você irá ganhar dinheiro de forma instantânea. Prepare-se para os períodos de vacas magras. Como será o pagamento dos seus clientes? É preciso ter uma reserva financeira para auxiliar naqueles meses mais fraco.

Algumas dicas práticas para você começar hoje mesmo a organizar o seu trabalho:

  • Faça uma lista das tarefas que você precisa realizar;
  • Depois, divida cada uma dessas atividades em pequenas partes;
  • Por fim, inclua essas partes na sua semana até a finalização da tarefa;
  • Estipular prazos para a execução de cada atividade também ajuda assim como acompanhar o desenvolvimento de cada pequena parte cumprida.

Vale Empreende: A tecnologia a favor do seu negócio

A tecnologia na odontologia está transformando a realidade dos consultórios e do trabalho dos dentistas. Os procedimentos estão cada vez mais seguros, rápidos e indolores, uma evolução não só para os pacientes como também para os profissionais da área.

Um pesquisa da INSEAD, a principal escola internacional de negócios, em colaboração com a AT&T, mostra que as empresas que investem forte em novas tecnologias de informação podem dobrar suas chances de serem altamente competitivas – de 35% para 74%. Os resultados da pesquisa foram extraídos de respostas detalhadas por parte de altos executivos de 225 empresas multinacionais em toda a Europa, Ásia-Pacífico e América do Norte.

Na odontologia, novidades como as lentes de contato dentais e câmeras intra orais permitem que os profissionais da área realize seu trabalho de forma menos invasiva e bem mais eficiente.

E em São José dos Campos, a Klimm Digital – como já diz no nome – está a frente quando o assunto é tecnologia. Conversei com a dentista Juliana Ruza, que é sócia-proprietária do consultório odontológico – que me contou sobre toda essa robótica que implantou no seu negócios. Aperta o play: