Delivery de roupas é novo modelo de negócio

Com um mercado cada vez mais competitivo e não importa o segmento, empreender algo novo parece impossível. E é por isso que digo aos meus clientes (coachees) é preciso entender o mercado o qual abrirá seu novo negócio e enxergar soluções para os problemas do seu público alvo.

E ultimamente focar em um nicho menor de mercado tem rendido bons resultados no final do mês (vou falar sobre como escolher seu nicho no mercado em breve).

O gestor ambiental Cláudio Tomaz Leterio, de 49 anos, e a esposa Marta Leterio, de 47, professora de matemática e especialista em neurociência aplicada à educação são os personagens da minha conversa de hoje aqui no Blog.

Já perceberam que eles vêm de áreas que nem de longe conversam com o mercado de varejo? Pois é, mas desde maio eles se debruçam em um novo negócio, que aliás, é novo para a região: uma loja infantil delivery, a Thuty Kids.

O pedido é feito através do site da loja, o cliente escolhe as roupas e recebe em casa.

Ok! Você deve estar pensando: Ah, um e-commerce! Não. No sistema delivery você pode experimentar antes de comprar. A ideia é receber suas escolhas em casa, em uma mala, experimentar e depois decidir com qual peça irá ficar.

Quais as vantagens? A Marta, sócia proprietária da Thuty Kids, listou:

– A praticidade de não precisar se deslocar até uma loja com a criança ou ir sozinha e correr o risco da roupinha não servir e ter que fazer o processo novamente, conhecido como troca;

– A segurança de conhecer a qualidade do produto e provar as roupas antes de decidir pela compra;

– A tranquilidade de escolher os looks  em casa respeitando o momento da criança, sem gerar estresse para ninguém;

– O delivery junta o melhor dos dois mundos, a segurança da loja física com a praticidade da loja online;

E ai surge a pergunta, como funciona todo esse mecanismo. A Marta me explicou:

A cliente acessa o site, faz um breve cadastro e entramos em contato por meio do WhatsApp, quando ela tem a oportunidade de nos informar algum gosto específico.

Então, agendamos uma data e horário de entrega e retirada da malinha. Na data combinada enviamos para casa da cliente uma malinha com roupas que foram escolhidas de acordo com as características que nos foram informadas.

Após dois dias, no horário combinado, voltamos para retirar a malinha e o pagamento é realizado. O que é legal? Percebemos que com esse processo evitamos o desconforto da troca, porque a cliente já provou a roupa no seu filho, verificou a qualidade e se sente segura para comprar e já começar a usar.

E por ser um novo modelo de negócio na região, os desafios são sempre maiores. Para Marta e o Cláudio não é diferente. Então quais são as dificuldades?

“Fazer o cliente acreditar que o serviço existe mesmo. As pessoas ainda pensam “parece muito bom para ser verdade”, ainda mais porque não cobramos frete. O primeiro contato que o cliente tem com o delivery gera muitas dúvidas e o maior desafio é entender quais são essas dúvidas para poder saná-las”, conta Marta Leterio.

E a dica para quem quer ingressar nesse mercado de varejo, Marta?

“Estudar o seu mercado e a sua região, ter um planejamento, ser persistente porque as coisas não acontecem da noite para o dia. Trabalhar com muita qualidade, ter um olhar especial para o atendimento e desenvolver sempre um diferencial”, finalizou.

 

 

 

12 ideias sobre “Delivery de roupas é novo modelo de negócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *