Gelateria investe em produção artesanal para se diferenciar no mercado

Isabel Santos e Sandra Chaves estão à frente da Artesane Gelateria, em São José dos Campos

Quem aqui não gosta de tomar aquele sorvetinho de sobremesa? Aliás não só de sobremesa, não é mesmo? Sorvete cai bem em qualquer hora do dia. Ainda mais se ele for produzido de maneira especial: artesanal, com ingredientes saudáveis e de boa qualidade, sem corantes e conservantes. Sim, esse sorvete existe, e são os gelatos.

A diferença entre eles? Os gelatos por serem armazenados em uma temperatura muito mais alta do que a do sorvete tradicional, eles deixam um rastro de sabor mais intenso no paladar, criando uma textura mais suave e uma cremosidade bem mais delicada.

Entendem agora por que os italianos adoram tomar gelatos no inverno, sem sentirem frio? O sorvete, por sua vez, já proporciona uma sensação mais próxima à do gelo, com uma textura mais pesada e cremosidade densa.

Ai, deu até fome né?

Bom, vamos aos números!

O surgimento de novos tipos de sorvete, com variações como premium, gourmet, orgânicos e veganos, deve fazer o mercado crescer cerca de 81% até 2020, segundo pesquisa da Mintel, uma empresa global de inteligência de mercado. Por isso, é importante que o empreendedor da cadeia produtiva, desde a indústria até o comércio, se prepare para a alta do consumo.

Nos últimos anos, o consumo de sorvetes no Brasil cresceu constantemente, segundo pesquisa da Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes (Abis). O volume saltou de 686 milhões de litros em 2003 para 1 bilhão em 2016, com destaque para 2014, que teve uma alta de consumo de 1,3 bilhão. O país é o 10º maior produtor mundial e o 11º maior consumidor, sendo o Nordeste a região com maior número de vendas.

Ufa, é um mercado bom para se atuar, não é mesmo?

E que tal conhecer a história de quem vive nele? Conheci as sócias-proprietárias da Artesane Gelateria, Sandra Chaves e Ana Isabel Santos, que desde 2016 estão empreendendo no segmento em São José dos Campos.

Em um bate papo super bacana e delicioso (tive que experimentar alguns sabores, né?) Elas me contaram como chegaram até aqui e porque escolheram os gelatos para chamar “de nosso negócio”. Confira:

Vivian Sant’Anna: Qual o grande diferencial da Artesane?

A maneira como fazemos o sorvete e os ingredientes que utilizamos.  Somos uma gelateria realmente artesanal e que trabalha com a verdade na produção e na comunicação. Além das receitas terem sido desenvolvidas por nós, utilizamos produtos originais de altíssima qualidade.  Os produtos são de verdade não utilizamos corantes ou saborizantes artificiais.

Os sabores de fruta são feitos com frutas e não com pastas saborizadas que contêm pedaços de frutas. Procuramos trabalhar com as frutas da estação para diminuir o teor de açúcar, esse aliás é um grande diferencial, pois empregamos baixo teor de açúcares em todas as receitas. Alguns sabores, levam a mesma quantidade de açúcar quanto certos iogurtes vendidos nos supermercados.  Gorduras trans ou hidrogenadas também não fazem parte da nossa realidade, optamos por utilizar óleo de coco e creme de leite fresco. Isso faz que nossos sorvetes sejam nutritivos, frescos e com textura e sabor incomparáveis.

Vivian Sant’Anna: Como fazem para driblar a sazonalidade dos produtos?

Na gelateria, oferecemos não somente gelatos e subprodutos dele como picolés, por exemplo, oferecemos também cafés, petits gâteaux, tortinhas salgadas e walffles. Esses produtos ajudam a driblar a sazonalidade. Além disso, procuramos aumentar a nossa gama de clientes, fornecendo nossos produtos para eventos, hotéis, buffets, bares, lanchonetes e restaurantes.

Vivian Sant’Anna: Quando teve início a iniciativa com produtores regionais?

Logo que abrimos a gelateria perseguíamos essa iniciativa. Desde o início, o leite e o creme de leite frescos que utilizamos vêm de um produtor de Jambeiro, assim como a água e o café de Monteiro Lobato. Algumas frutas orgânicas, conseguíamos pegar diretamente de produtores da região, mas hoje, as parcerias cresceram significativamente, a maior parte dos nossos fornecedores é da região, assim como parceiros revendedores. Fortalecer, a cada dia, nossos vínculos com a região faz parte dos nossos objetivos. Acreditamos, realmente, que ao trabalharmos com nossos vizinhos, todos ganham, crescem e, sobretudo, geram mais empregos e riqueza.

Vivian Sant’Anna: Como perceberam a demanda para produzir gelatos especiais: sem açúcar e sem lactose?

Já nascemos com essa preocupação e com a crescente demanda, isso apenas se confirmou.  Nossos sorbets sempre são feitos sem leite, utilizamos fruta e água. Na Artesane, não produzimos, somente, gelatos ou sorbets sem açúcar ou sem leite, as nossas tortinhas salgadas são sem glúten, o nosso petit gateau e waffle são sem glúten e veganos, a nossa casquinha também faz parte dessa demanda, ela é vegana, sem glúten, sem leite, baixo teor de açúcares e funcional.

Vivian Sant’Anna: Quais são as tendências que você observa no mercado?

Atuamos no segmento de sobremesas e observamos a busca de uma sobremesa que seja um complemento saudável da alimentação. Aos poucos, a população brasileira está entendendo a diferença entre os sorvetes industriais ou “ditos” artesanais. Os pais estão mais atentos a alimentação de seus filhos, bem como a própria. E não tem jeito, a matemática é simples, produtos de qualidade custam mais. Existe uma enorme diferença entre oferecer sabores básicos, artificiais e sem nutrientes acompanhados de coberturas saborizadas, balas, ou biscoitos e uma vitrine com até 20 sabores artesanais com ingredientes originais e de qualidade, somado a uma casquinha artesanal sem glúten, vegana,  deliciosa, rica em fibras e crocante.  Além de baixo teor de açúcares, de sódio e de gorduras nefastas, uma sobremesa deve ser nutritiva, contendo carboidratos, proteínas, minerais, fibras e lipídios de maneira balanceada.

Dica da Artesane:
Quem tiver mais curiosidade sobre o Gelato Italiano e gostar de uma boa leitura em inglês, acessar a reportagem da jornalista Erla Zwingle: https://craftsmanship.net/coda-summer-day-secrets-italian-gelato-master/


Nota da Vivian Sant’Anna

Como em todo mercado é preciso inovação. Inovar é a palavra de ordem. O mercado de sorvete, assim como outros mercados, está passando por uma fase de mudanças e os empreendedores que se atentarem mais às novas tendências, terão maiores chances de sucesso. Produtos saudáveis estão em alta, fica a dica! 😉

4 ideias sobre “Gelateria investe em produção artesanal para se diferenciar no mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *