Plano de carreira do Outback Steakhouse incentiva colaboradores a serem sócio proprietários da marca

Vivian Sant’Anna com a sócia proprietária da casa australiana de SJC, Bruna Caroline Guets

Trabalhar no Outback Steakhouse já pode ter passado pela cabeça de muitos que estão lendo essa matéria aqui no Blog hoje. Além da comida ser muito boa, o atendimento é sempre impecável. E aqui em São José a casa chegou em 2011 e desde então, não há um dia que não haja filas de espera para desfrutar das delícias da marca mundial. Só no Brasil são cerca de 92 restaurante da rede focada em gastronomia australiana.

Bruna Caroline é quem está à frente da casa em São José dos Campos, no comando das operações desde de janeiro de 2017. Ela é formada em Recursos Humanos e está no mercado de trabalho desde os 18 anos. No Outback começou como atendente (waitress), foi treinadora, coordenadora de plantão e gerente, até que chegou a ocupar o cargo de sócio proprietária da rede

Tudo isso, devido a um plano de carreira que a marca oferece a seus colaboradores (incrível, não? Sempre falo que o plano de carreira de um empresa desenvolve e incentiva muitos os colaboradores, ganha a empresa e o funcionário).

Bruna Caroline

E claro, que eu queria saber como foi toda essa história, como é trabalhar para a rede e como foi o caminho até a sociedade. Vem ler:

 Vivian Sant’Anna: Como você iniciou sua carreira? Qual a sua formação?

Sou formada em Recursos Humanos. Iniciei minha carreira aos 18 anos, como recepcionista, e trabalhei durante seis anos em uma chopperia conceituada na cidade de Campinas/SP, onde nasci. Logo após a minha saída, iniciei minha carreira no Outback. O que me atraiu logo de início foi o plano de carreira oferecido pela marca – enxerguei ali uma ótima oportunidade! Comecei no Outback como Waitress (Atendente de Restaurante) e hoje sou sócia-proprietária, o que prova que eu estava realmente certa das possibilidades que a marca oferece.

Vivian Sant’Anna: Por que resolveu apostar em um restaurante e por que o Outback?

O Outback foi paixão desde o primeiro dia. Ao conhecer o plano de carreira da marca visei o meu futuro e realmente apostei na empresa – assim como eles também apostaram em mim ao me contratarem. Acreditei, desde o início, que poderia crescer junto com a marca. E foi isso que aconteceu. A valorização de cada profissional, a cultura da empresa, tudo me motivou a trabalhar e me dedicar muito para alcançar voos cada vez mais altos dentro do Outback. Além da dedicação pessoal, o fato de a empresa acreditar nos seus colaboradores foi fundamental para o meu sucesso profissional. E isso é uma característica do Outback – 80% dos sócios de restaurantes da marca vieram da operação (da cozinha ou do salão, por exemplo), assim como eu. Por isso, digo: o Outback foi paixão desde o primeiro dia e, tenho certeza, que continuará sendo pelo restante de minha vida.

Vivian Sant’Anna: Como foi o processo para se tornar proprietária do Outback de São José dos Campos?

Fui – e continuo sendo – muito dedicada, sempre mostrando muita garra e empenho. Ingressei como atendente e fui conquistando meu sucesso, meu espaço. Fui treinadora, coordenadora de plantão e gerente, até que surgiu a oportunidade de assumir o cargo de sócia-proprietária do Outback de São José dos Campos. Graças ao meu esforço e às possibilidades que a rede oferece a todos os colaboradores, conquistei minha satisfação profissional.

Vivian Sant’Anna: Qual foi o fator mais decisivo para que você obtivesse êxito no negócio?

Sem dúvida foram três fatores decisivos: dedicação, foco e determinação.

Vivian Sant’Anna: Quais características precisou desenvolver como empresária que antes não possuía e hoje enxerga que essas habilidades são essenciais na hora da gestão dos negócios?

Entre as principais características que precisei desenvolver, ao longo desses anos, estão a organização e o comprometimento – independente do cargo ou função, essas características são essenciais a todos os profissionais. São elas que permitem alcançar os objetivos e metas, sem perder o foco. A liderança também é imprescindível, afinal, diariamente trabalhamos com pessoas e equipes que precisam estar constantemente motivadas e felizes com o seu trabalho, afinal, somos nós que traduzimos o espírito Outback para os clientes.

Vivian Sant’Anna: Quais foram e são as suas maiores dificuldades no negócio?

Gerir um grande negócio, como o Outback, é um desafio por conta da representatividade e credibilidade da marca, o que faz com que, diariamente, eu precise estar atenta à organização diante de novas programações e questões administrativas. Eu aprendo diariamente com os desafios que envolvem gerir essa marca tão apaixonante e querida pelos brasileiros. Cada conquista é, pessoalmente, gratificante – estimular, dia a dia, o amor dos nossos colaboradores e dos nossos clientes pelo Outback é o que me move.

Vivian Sant’Anna: Quais dicas daria para quem deseja investir em uma grande marca?

Além de dedicar-se à formação contínua e estar atento as atualizações do mercado do trabalho, fazer pesquisas de mercado e conhecer mais sobre a reputação e seriedade da empresa com os negócios é essencial antes de investir em uma marca. Outro fator determinante é escolher uma marca com a qual você se identifique. Para mim, não foi difícil optar pelo Outback, já que é uma marca com a qual eu sempre me identifiquei. Como acredito que o trabalho é uma forma de realização, a escolha pelo Outback foi muito fácil. Faço o que gosto e trabalho para uma marca que acredito. O Outback foi um grande acerto e sou muito feliz em minha carreira.

 

36 ideias sobre “Plano de carreira do Outback Steakhouse incentiva colaboradores a serem sócio proprietários da marca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *